fotografia

fotografiaObserva-se ocasionalmente uma alopécia localizada (pelada) na área da nuca em bebés pequenos que motiva preocupação aos pais pelo receio dos cabelos poderem não voltar a crescer.

É comum ser justificada pelo efeito de fricção da cabeça no berço dado o facto de os lactentes passarem muito tempo deitados sempre na mesma posição, sobretudo em decúbito dorsal (de barriga para cima).

Na verdade e ao contrário do que acontece na plagiocefalia posicional, nada tem que ver com a posição e portanto, as medidas de mudança de posição serem inúteis.

Além disso, decorridos alguns meses, tudo normaliza, sem necessidade de qualquer intervenção.

Então porque acontece esta situação?

Para se perceber é preciso conhecer os processos da formação do cabelo dos seres humanos, desde o início, que acontecem aproximadamente por altura do meio da gestação.

Os primeiros rudimentos de cabelos surgem em ciclos começando na região frontal e progredindo no sentido caudal. Estes cabelos vão nascendo e caindo in útero antes do nascimento seguindo essa ordem, todos na mesma fase de crescimento (sincronamente), como se de uma seara se tratasse (é como acontece com alguns animais, por exemplo, com fases em que perdem muito pelo).

Aquando do nascimento encontramo-nos habitualmente numa fase em que estão a começar a cair os cabelos na região occipital e já nasceram os da parte superior da cabeça, com o aparecimento nos meses seguintes da área de pelada correspondente.

Ora este ritmo perde-se para sempre quando nascemos, e a queda de cabelos deixa de ser síncrona, caindo e nascendo cabelos aleatoriamente, levando a que não se notem falhas.

Por isso, não se preocupe com a pelada que possa aparecer na área occipital do seu filho nestas idades, pois é um processo natural que resolve completamente, independente da posição de dormir.

Paulo Coutinho -Pediatra

Emídio Carreiro – Pediatra

Revisto em 14-1-2015

Download do artigo em PDF   

2014 © Todos os direitos reservados | Desenvolvido por JumpStart