Andarilho

Os voadores não devem ser utilizados.

A ideia de que os voadores antecipam a idade da marcha é um mito.

Na verdade, os voadores:

  • Aumentam o risco de queda em escadas. Quadruplicam este risco e aumentam muito o número e gravidade das fraturas;
  • Aumentam o número de afogamentos em piscinas;
  • Aumentam o número de intoxicações. Com mais probabilidade e rapidez as crianças conseguem obter medicamentos colocados em cima de mesas, cadeiras e principalmente mesinhas de cabeceira;
  • Aumentam a probabilidade de queimaduras e a sua gravidade. Com mais facilidade as crianças puxam toalhas de mesa, panelas do fogão e com mais rapidez chegam a aquecedores ou lareiras/recuperadores;
  • Diminuem o estímulo/esforço de bebé e não favorecem o desenvolvimento psicomotor. O desenvolvimento ocorre por etapas, que poderão ser em idades diferentes para cada criança. Devemos estimular a criança a adquirir essas competências e não a ultrapassar etapas.

Os acidentes ocorrem frequentemente “debaixo do nosso olhar”, muitas vezes na nossa própria casa. A rapidez com que acontecem não nos permite ter a destreza de os evitar sempre.

Os voadores com travões de rodas devem igualmente ser evitados, pois representando uma segurança que necessita da nossa atividade seguramente nos esqueceremos de os travar em algum momento. Mesmo os que têm o sistema anti queda de escadas não são por nós recomendados.

Como alternativa apontamos:

  • Os centros de atividade estáticos, com cadeiras rotativas que permitem explorar todo o ambiente. Deverão ter uma base larga para mesmo assim diminuir o risco de queda com a inclinação e baloiço do corpo da criança. Mesmo nestes centros a criança deverá estar por curtos períodos.
  • Parques amplos. Estes permitem à criança usar as suas capacidades no gatinhar, levantar e andar. Nestes parques deverão ser usados brinquedos moles. Também aqui a criança poderá olhar para todos os lados.

Em todas as comunidades profissionais de saúde são desaconselhados estes dispositivos, chegando mesmo no Canadá a ser proibida a sua publicidade e comercialização.

Para quando a sua proibição na Europa?

Concluímos que os voadores, mesmo com todas as melhorias que têm sido instituídas, não têm vantagens e como tal deve ser evitados.

Emídio Carreiro – Pediatra

Paulo Coutinho – Pediatra

Revisto em 02/08/2015
Nota: este texto não substitui o conselho médico, diagnóstico ou tratamento. Procure sempre o conselho do seu médico.

Download do artigo em PDF

2014 © Todos os direitos reservados | Desenvolvido por JumpStart